A pedagogia de JESUS

232 visualizações

Publicada em

Palestra espirita

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
232
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A pedagogia de JESUS

  1. 1. A Pedagogia de Jesus Pedagogo da Humanidade, o CRISTO nos trouxe os princípios eternos da Educação com AMOR.
  2. 2. A Pedagogia de Jesus Princípios de Aprendizagem Recursos Didáticos Ação Pedagógica Princípios Norteadores
  3. 3. Princípios de aprendizagem : 1. Deve se alicerçar no valor da pessoa humana. “Vós sois a luz do mundo.” (Mt, 5:14)
  4. 4. 2- Toda aprendizagem se dá no tempo e é cumulativa. “Primeiro a erva, depois a espiga e por último o grão cheio na espiga.” (Mc. 4:28)
  5. 5. 3- O processo ensino e aprendizagem tem como fonte o indivíduo e sua situação histórico- cultural. “A que assemelharemos o Reino de Deus? Ou com que parábola o apresentaremos?
  6. 6. 4- A aprendizagem deve se basear na descoberta pessoal, concreta, a partir da reflexão em profundidade. “Quem foi o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores?” (Lc. 10:36)
  7. 7. 5- A aprendizagem se evidencia na vivência, na demonstração, no comportamento que denota a transformação interior.“ Porquanto cada árvore é reconhecida pelos seus frutos.” (Lc. 6:44)
  8. 8. 6- Toda aprendizagem conduz o homem à harmonia consigo próprio, com o próximo e com Deus. “Quem pratica a verdade aproxima-se da Luz.” (Jo. 3:21)
  9. 9. 7- É no próprio aprendiz que encontramos o “feedback” sobre sua aprendizagem. Diálogo de Jesus com o moço rico. (Lc. 18:18-23)
  10. 10. 8-Toda aprendizagem necessariamente possui momentos de avaliação. “Aquele dentre vós que estiver sem pecado, atire a primeira pedra”. (Jo. 8:7)
  11. 11. 9- O erro é uma parte do processo de aprendizagem e deve ser transformado em estímulo de crescimento. “Vai e não tornes a pecar.” (Jo. 8:11)
  12. 12. 10- O ambiente de confiança e respeito é fundamental para a aprendizagem. Por que lhes falas por parábolas? “Por que a vós é dado conhecer os mistérios do Reino dos Céus, mas a eles não lhes é dado.”(Mt. 13:10;11)
  13. 13. 11- A aprendizagem verdadeira conduz à liberdade e à autonomia. “Conhecereis a verdade e ela vos libertará.” (Jo. 8:32)
  14. 14. 12- A coerência e o modo de ser do Mestre são igualmente elementos favorecedores da aprendizagem. “As minhas ovelhas ouvem a minha voz: eu as conheço e elas me
  15. 15. 13- O mestre é um aprendiz completo e o aprendiz é um Mestre em potencial. “O discípulo não está acima do seu mestre; todo aquele,porém, que for perfeito será como o seu mestre.” (Lc.6:40)
  16. 16. 14-Toda aprendizagem significativa é aquisição para o espírito imortal. (…) “e então retribuirá a cada um segundo as suas obras.” (Mt. 16:27)
  17. 17. Recursos didáticos utilizados por Jesus Técnicas Exemplos na prática Crística Conversação Didática Diálogo de Jesus com a mulher Samaritana. (Jo. 4:6-26) Observação No caso do óbulo da viúva. (Lc. 21:1-4) Ilustração Olhai os lírios do campo...
  18. 18. Recursos didáticos utilizados por Jesus Perguntas “Que é que está escrito na lei? Como interpretas”? (Lc. 10:26) Debate “Que diz o povo ser o filho do homem?” (Mt. 16:13) Exemplificaçã o “Mulher ninguém te condenou? Eu também não te condeno.” (Jo. 8:11)
  19. 19. Recursos didáticos utilizados por Jesus Técnicas Exemplos na prática Crística Preleções Sermões Sermão do Monte (Mt. 5) Explicaçõe s Parábola do Semeador. (Mt.13:10-23) Narrativas As incontáveis parábolas. Do joio (Mt. 13:24-30)
  20. 20. Princípios norteadores da Pedagogia de Jesus
  21. 21.  O crescimento pessoal: Jesus identificou e estimulou em cada criatura a oportunidade de encontrar seus próprios valores de crescimento no rumo da perfeição.
  22. 22. •Valorização do contato pessoal: Jesus é o mestre que convive, que participa, que se preocupa com a aprendizagem de seus aprendizes.
  23. 23. •Relação teoria e prática: “Nisso todos reconhecerão que vós sois meus discípulos: se vos amardes uns aos outros.” (Jo.13:35)
  24. 24. •Sentido imanente e transcendente da experiência humana: Todos os nossos atos do cotidiano são contabilizados perante a Justiça Divina.
  25. 25. “Em verdade vos afirmo que tudo que o fizestes a um destes pequeninos, a mim o fizestes.”
  26. 26. A construção da felicidade na vida eterna inicia-se na construção do Reino de Deus na vida terrena, através do cumprimento da Lei de Amor, Justiça e Caridade. “Se queres, porém entrar na vida, guarda os mandamentos.”
  27. 27. A ação pedagógica de Jesus é uma proposta de educação:
  28. 28. a) Comprometida com a transformação: o reino de Deus deverá ser construído entre os homens, com os homens, pelos homens e apesar dos homens.
  29. 29. b) Baseada na participação de cada um: Cada pessoa é um sol, é luz, é sal, é herdeiro de Deus e está fadado a perfeição e a felicidade.
  30. 30. c) Alicerçada na visão do homem integral: Aliando razão e emoção a serviço da busca da perfeição.
  31. 31. d) Dialógica: Centrada na interrelação pessoal, na construção coletiva dos ideais de fraternidade.
  32. 32. e) Libertadora: Pela grande finalidade de auxiliar os homens a deflagrarem o grande vôo da descoberta de sua condição de co-criadores: “Vós sois deuses.” (Jo.10:34)
  33. 33. “Que a luz racional de Kardec, somada à luz do amor de Jesus, sejam as forças fundamentais de nossos trabalhos espíritas- cristãos.” (Livro Aprendendo, Amando e Servindo Walter Barcelos)
  34. 34. Fontes de pesquisa Revista “A Reencarnação”, nº 427, ano LXX,  A Educação Moral, publicada pela Federação Espírita do Rio Grande do Sul (FERGS) . Matéria: Uma introdução à proposta pedagógica de Jesus, seus princípios norteadores e práticas de ensino”, por Sandra Borba Pereira – Pedagoga e Filósofa. Bibliografia citada na matéria 1. A PEDAGOGIA  DE JESUS, de J.M. Price, 4ª edição, RJ, JUERP, 1983 2. Roger Gal, HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, Martins Fontes, SP, 1989, p.39 3. L. Riboulet, HISTÓRIA DA PEDAGOGIA, Ed.FTD,SP vol.1, p.161 4. P. Monroe, HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 14ª Ed. Nacional, SP, 1979 5. F. Larroyo, HISTÓRIA GERAL DA PEDAGOGIA, 2ª Ed. Mestre Jou, SP, 1964, vol.1, p.252.

×