Os professores diante do saber

5.683 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.683
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
239
Comentários
1
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os professores diante do saber

  1. 1. Os professores diante do saber: esboçode uma problemática do saber docente autor canadense Maurice Tardif. Professora: Cristina Torres Professora Cristina Torres
  2. 2. Os professores sabem de certo alguma coisa, mas o que exatamente? Quais os saberes necessários para ensinar? Para aprender novos conceitos? Para construir novas práticas?Qual é a função do professor na produção de saberes pedagógicos?Como esses saberes são adquiridos pelos professores?Qual o papel e o peso desses saberes em relação aos outros conhecimentos do professor? Professora Cristina Torres
  3. 3. Para refletir… • Como podem os professores discutiremquestões da prática docente sem se deixar tomar pela necessidade da formação de um novo profissional docente? Professora Cristina Torres
  4. 4. Os primeiros cristãos foram também os primeirosprofessores da História, porque «professavam», isto é,declaravam publicamente a sua fé, ainda que lhespudesse custar a vida.A palavra formou-se a partir do latim profiteri, com omesmo significado, formada por fateri (confessar),com o prefixo pro- (diante, com o sentido de «diantede todos, à vista»).A partir de certa época, um professor passou a seraquele que «professava», ou seja, que declaravapublicamente que possuía conhecimentos emdeterminada área do saber e que podia transmiti-los. Professora Cristina Torres
  5. 5. A formação do professor Tem sido abordada nos últimos anos sob diferentes enfoques. Em diversas instâncias acadêmicas, esforços e estudos voltam-se para a busca da qualidade da formação, centrados no aprimoramento de instrumental teórico-prático que considere a especificidade da ação educativa, muitos dos quais na perspectiva da profissionalização docente.No Brasil, a política educacional, decorrente dessas reformas, é traduzida pela atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional de 1996 e textos legais que a regulamentam. Professora Cristina Torres
  6. 6. A formação do professor e o saberAs reformas dos anos 90, todavia, trazem em seu bojo umanova política educacional, introduzindo significativasmudanças em muitas das concepções e fundamentos quedirecionavam, até então, a educação e a formação docente. Essas mudanças alcançam também a proposta que vinhasendo construída pelo movimento dos educadores a partir deestudos e pesquisas desenvolvidas nas instituiçõesformadoras desde a década de 80: concepção e local própriopara a sua concretização; os princípios de organizaçãocurricular, que passam a ter como centralidade odesenvolvimento de competências e outras concepções comogestão democrática, prática educativa que, no contexto dosatuais textos legais que regulamentam a educação no país. Professora Cristina Torres
  7. 7. Saber: Ser capaz de...Compreender, dominar uma técnica,Poder manusear e Poder compreender . Professora Cristina Torres
  8. 8. Persistem, no debate sobre a formação dos professores,os problemas crônicos enfrentados pelas instituiçõesformadoras, como: Reformas escolares e distância entre saberes acadêmicos e saberes dos professores e a relação por eles estabelecidas com os respectivos conteúdos; Falta de articulação formação geral e entre teoria e prática formação educacional pedagógica; falta de articulação conteúdos e ensino e pesquisa; métodos ; Professora Cristina Torres
  9. 9. A formação do professor e a lei LDB Art. 67º. Os sistemas de ensino promoverão a valorização dos profissionais da educação, assegurando- lhes, inclusive nos termos dos estatutos e dos planos de carreira do magistério público:I - ingresso exclusivamente por concurso público de provas e títulos;II - aperfeiçoamento profissional continuado, inclusive com licenciamento periódico remunerado para esse fim;III - piso salarial profissional;IV - progressão funcional baseada na titulação ou habilitação, e na avaliação do desempenho;V - período reservado a estudos, planejamento e avaliação, incluído na carga de trabalho. Professora Cristina Torres
  10. 10. TARDIFF explicita a posição estratégica do docente na produção dos saberes sociais e classifica os saberes em:Saberes profissionais:produzidos pelos teóricos e transmitidos noscursos de licenciatura. Saberes disciplinares: saberes que correspondem aos diversos campos do saber (biologia, matemática etc). Saberes curriculares: conteúdos apresentados na escola. Saberes experienciais: Professora Cristina Torres no decorrer da experiência de docência. produzidos
  11. 11. [...] o saber não é uma coisa que flutua no espaço: o saber dos professores é o saber deles e está relacionado com a pessoa e a identidade deles, com a sua experiência de vida e com a sua história profissional, com as suas relações com aos alunos em sala de aula e com os outros atores escolares na escola, etc. Por isso é necessário estudá-lo relacionando-os com esses elementos constitutivos do trabalho docente. (TARDIF, 2002, p.11 )Professora Cristina Torres
  12. 12. O saber não é uma substância ou um conteúdofechado em si mesmo; ele se manifesta atravésde relações complexas entre o professor e seusalunos. Por conseguinte, é preciso inscrever nopróprio cerne do saber dos professores a relaçãocom o outro, e, principalmente, com esse outrocoletivo representado por uma turma de alunos.(TARDIF, 2002, p. 13) Professora Cristina Torres
  13. 13. O trabalho docente, entendido comoatividade pedagógica do professor, busca osseguintes objetivos primordiais: Assegurar aos alunos o domínio mais seguro e duradouro possível dos conhecimentos científicos; Orientar as tarefas de ensino para objetivosCriar as condições e os meios educativos de formaçãopara que os alunos da personalidade, isto é,desenvolvam capacidades e ajudar os alunos ahabilidades intelectuais de escolherem ummodo que dominem métodos caminho na vida, ade estudo e de trabalho terem atitudes eintelectual visando a sua convicções queautonomia no processo de norteiem suas opçõesaprendizagem e diante dos problemas eindependência de situações da vida real. Professora Cristina Torrespensamento;
  14. 14. Identidade e profissionalização docente Trata das qualidades do professor progressista, seu perfil profissiográfico e algumas considerações sobre o professor reflexivo e a prática reflexiva. Pretende-se, assim,  Entender o significado de identidade do professor;  Identificar características do perfil do professor;  Destacar a importância da formação do professor e da escola reflexiva. Professora Cristina Torres
  15. 15. A identidade do professor, conformePimenta (1999, p. 19), é construída [...] a partir da significação social da profissão; darevisão constante dos significados sociais da profissão; darevisão das tradições. Mas também da reafirmação daspráticas consagradas culturalmente e que permanecemsignificativas. Práticas que resistem a inovações porqueprenhes de saberes válidos às necessidades darealidade. Do confronto entre as teorias e as práticas,da análise sistemática das práticas à luz das teoriasexistentes, da construção de novas teorias Professora Cristina Torres
  16. 16. Pimenta (1999, p. 19-25) afirma, ainda, queexistem os seguintes passospara a construção da identidade do professor: Significação social da profissão: reafirmação da prática, revisão das tradições; Discussão da questão do conhecimento, o qual se subdivide em três estágios : informação, análise, classificação e contextualização da informação = inteligência, sabedoria e consciência; Conhecer a realidade escolar com olhar de . futuro Cristina Torres Professora professor, não mais como aluno.
  17. 17. Libâneo, determina, duas dimensões da formaçãoprofissional do professor para o trabalho didáticoem sala de aula. A teórico-científica formada de conhecimentos de filosofia, sociologia, história da educação e pedagogia. A técnico–prática que representa o trabalho docente incluindo a didática, metodologias, pesquisa e outras facetas práticas do trabalho do professor. Professora Cristina Torres
  18. 18. CONCLUINDO...o autor do texto realiza a interlocução entre saberes sociais eeducação, é dado ênfase que o professor é aquele que sabealguma coisa e o ensina a alguém. É com muita propriedade, queTardif apresenta os quatro saberes que constroem a profissãodocente: os saberes da formação profissional (das ciências daeducação e da ideologia pedagógica), os saberes disciplinares,os saberes curriculares e os saberes experienciais.É dada toda a ênfase aos saberes experienciais como aquele quesurge na e pela prática, validados pelo professor e acoplados naconstituição de seu profissionalismo. Professora Cristina Torres
  19. 19. Questões para discussão Após a leitura do texto elabore cinco perguntas que devem ser respondidas pelos grupos de estudo.Professora Cristina Torres
  20. 20. REFERÊNCIASFREIRE, Paulo.Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1982. ______.Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à práticaeducativa. São Paulo:Paz e Terra, 1996.LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Formaçãode Professores: identidade e saberes da docência. São Paulo: Cortez,1999. TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional.Petrópolis, RJ: Vozes, 2002. Professora Cristina Torres
  21. 21. Email:cristinatorresferreira@gmail.com Blogger:Praticandoconhecimento.blogspot.com Professora Cristina Torres

×