UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO – UPEFACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS NÚCLEO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO À ...
Erlane Maria da Silva Bactérias Comedoras de CarneGaranhuns –PE 2010<br />Trabalho solicitado pelo (a) professor (a) Márci...
A BACTÉRIA QUE COME CARNE<br />É uma infecção conhecida como a “bactéria que come carne”. <br />Essa infecção bacteriana r...
IntroduçãoÉ Uma  infecção que começa com celulite grave  ou extensa que se alastra para comprometer  as faces  superficial...
A FN  pode apresentar-se como uma infecção mais superficial de partes moles, como celulite ou erisipela, e com outras seme...
TRATAMENTOO tratamento bem-sucedido envolve o diagnóstico precoce, devidamente cirúrgico radical de todo o tecido necrótic...
ConclusãoFN é infecção bacteriana destrutiva e rapidamente afeta o tecido subcutâneo e fáscia superficial, associada a alt...
Bibliografia:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962004000200010http://issoaiounao.zip.net/arch...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bacterias Comedoras de Carne

8.774 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.774
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bacterias Comedoras de Carne

  1. 1. UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO – UPEFACULDADE DE CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA DE GARANHUNS NÚCLEO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO À DISTÂNCIALICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICASBactérias Comedoras de Carne Erlane Maria da SilvaGaranhuns –PE 2010<br />
  2. 2. Erlane Maria da Silva Bactérias Comedoras de CarneGaranhuns –PE 2010<br />Trabalho solicitado pelo (a) professor (a) Márcia Maria Camargo de Morais , da disciplina de Microbiologia, do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, modalidade à Distância, da Universidade de Pernambuco - UPE, Faculdade de Ciências, Educação e Tecnologia de Garanhuns – FACETEG, como requisito para fins avaliativos.<br />
  3. 3. A BACTÉRIA QUE COME CARNE<br />É uma infecção conhecida como a “bactéria que come carne”. <br />Essa infecção bacteriana razoavelmente rara, chamada Fascite Necrosante, ocorre por streptococos, especialmente um chamado Streptococcus pyogenes.<br />Seu verdadeiro nome é Fascite Necrosante, mas começou a ser chamada por comedora de carne na década de 1980 e início dos anos 90, uma grande quantidade de artigos na literatura médica sugeria que estava diante do ressurgimento das infecções severas por Streptococcus do grupo A. <br />Ao que parece, houve exagero e sensacionalismo, tendo surgido a denominação de bactérias comedoras de carne (flesh-eating bactéria).<br />
  4. 4. IntroduçãoÉ Uma infecção que começa com celulite grave ou extensa que se alastra para comprometer as faces superficial e profunda, produzindo Trombose dos vasos subcutâneos e gangrena dos tecidos subjacentes. Uma lesão cutânea geralmente serve como porta de entrada para infecções, mas às vezes nenhuma lesão é assim facilmente encontrada . Abaixo temos a imagem da bactéria que causa tal enfermidade o estreptococos: <br />
  5. 5. A FN pode apresentar-se como uma infecção mais superficial de partes moles, como celulite ou erisipela, e com outras semelhanças quanto à etiologia e aos fatores predisponentes. E devido à alta freqüência e à relativa facilidade no diagnóstico e à boa resposta ao tratamento dessas infecções mais superficiais, pode-se implica em falhas terapêuticas nos casos que evoluem com comprometimento da fáscia superficial e tecido subcutâneo, com elevado potencial para complicações graves. <br />
  6. 6. TRATAMENTOO tratamento bem-sucedido envolve o diagnóstico precoce, devidamente cirúrgico radical de todo o tecido necrótico, antibioticoterapia parenteral de amplo espectro e medidas gerais de suporte agressivas. A antibioticoterapia isolada não é efetiva, devido ao comprometimento da concentração da droga no local da infecção, prejudicada pela necrose e trombose de vasos sangüíneos.A penicilina é o antibiótico de escolha para o tratamento das infecções estreptocócicas e possui amplo espectro de ação: heterobactérias, estreptococos, heterococos e anaeróbios, incluindo Bacteroides spp. No entanto, a clindamicina pode ser teoricamente superior. Diagnostico<br />
  7. 7. ConclusãoFN é infecção bacteriana destrutiva e rapidamente afeta o tecido subcutâneo e fáscia superficial, associada a altos índices de morbimortalidade se não tratada precocemente. Portanto, devemos estar atento s para a sua existência , cujo principal diagnóstico diferencial é a celulite. Desse modo, na presença de quadro clínico compatível com celulite com resposta parcial à antibioticoterapia, especialmente se acompanhado de dor e bolhas hemorrágicas, deve-se pensar no diagnóstico de FN, permitindo a abordagem terapêutica precoce e diminuindo seus elevados índices de morbimortalidade.  <br />
  8. 8. Bibliografia:http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0365-05962004000200010http://issoaiounao.zip.net/arch2007-07-15_2007-07-21.htmlhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Streptococcushttp://fabio10i.blogspot.com/2009_11_01_archive.html <br />

×