Cidades Emergentes e Sustentaveis

129 visualizações

Publicada em

O slide é um trabalho da disciplina de economia regional e urbana do curso de economia da urca, que mostra as Cidades Emergentes e Sustentaveis

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
129
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cidades Emergentes e Sustentaveis

  1. 1. UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI – URCA DISCIPLINA: ECONOMIA REGIONAL E URBANA EQUIPE: ALAYANNA DARLLY HADASSA JORGE STHEFANY CARDOSO o CIDADES EMERGENTES E SUSTENTAVEIS
  2. 2. O que é uma Cidade Sustentável? É aquela que oferece alta qualidade de vida a seus habitantes, sem comprometer os recursos e possibilidades de futuras gerações. É uma cidade com infraestrutura que leva em conta a escala humana, que minimiza seus impactos sobre o meio natural e é capaz de se adaptar à mudança do clima. Ela conta também com um governo local com capacidade fiscal e administrativa para manter o seu crescimento econômico e para conduzir suas funções urbanas com participação ativa da sociedade
  3. 3. O que é uma Cidade Emergente? Cidade emergente deve ter uma área urbana de tamanho médio que mostra crescimento populacional e econômico acima da média em seu país. Além disso, desenvolve-se em um ambiente de estabilidade social e governabilidade. Em termos de crescimento populacional nos países da ALC, observa-se que as cidades médias cresceram a uma taxa maior que as grandes cidades, além de ser mais dinâmicas que essas, pois a contribuição das cidades médias emergentes da região ao PIB vem crescendo constantemente nas últimas décadas.
  4. 4. Origem das cidades emergentes e sustentáveis No ano de 2010, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) desenvolveu uma metodologia concebida no âmbito da então designada Plataforma Cidades Emergentes e Sustentáveis, e tem como objetivo a ajudar os governos da Região a enfrentar a questão da sustentabilidade e lidar com problemas ambientais urbanos e priorizando alternativas e propondo soluções para eles.
  5. 5. Plataforma Cidades Emergentes e Sustentáveis (CES)
  6. 6. Origem ICES no Brasil A ICES nasceu no Brasil apoiando a cidade de Goiânia/GO com um plano de ação lançado em 2012. Uma parceria com a caixa, que consideramos de alta relevância para a sociedade brasileira, nos permitiu expandir nossa atuação para João pessoa/PB, palmas/TO, vitória/es e Florianópolis/SC. Hoje temos a ICES presente em cidades nas diferentes regiões do país.
  7. 7.  O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) identificou na CAIXA, a parceria ideal em função da sua atuação no desenvolvimento urbano e de sua expertise em sustentabilidade. A ICES possibilita a elaboração de diagnósticos e planos de ação locais, sinalizando o caminho para a sustentabilidade das cidades no longo prazo  O banco promove a assistência técnica e financeira à formulação e implementação de um plano de ação para o desenvolvimento sustentável dos municípios.
  8. 8. Em 2011, foi selecionada para integrar a Plataforma Cidades Emergentes e Sustentáveis, uma iniciativa do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que tem como objetivo introduzir o conceito de sustentabilidade em todos os aspectos da gestão municipal, viabilizando o apoio técnico e financeiro para a elaboração e a execução de projetos e políticas públicas voltadas para o desenvolvimento sustentável O Plano de ação foi desenvolvido em coautoria com a equipe da Prefeitura de Goiânia. O envolvimento da sociedade local ocorreu já na fase de apresentação da metodologia experimental ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) do Município, em maio de 2011.
  9. 9. João Pessoa, capital da Paraíba, é o primeiro município brasileiro a ser incluído oficialmente no programa Iniciativa de Fomento às Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) do Banco Interamericano do Desenvolvimento (BID).  No Brasil, o programa desenvolvido pelo BID e pela Caixa Econômica Federal (CEF), estabeleceu convênio com a prefeitura da cidade no valor de U$ 1 milhão e foi assinado no dia 26 de março de 2013.
  10. 10. Após a assinatura do convênio, os técnicos participaram de um encontro com os secretários municipais para explicar a metodologia de trabalho e o processo de coleta dos indicadores da cidade. Em seguida, fizeram a primeira visita de campo a duas comunidades: a do “S” e do Porto do Capim, onde tiveram contato inicial com os habitantes e suas demandas.
  11. 11. Na Comunidade do “S”, que está localizada próxima ao antigo lixão do bairro do Roger e abriga em torno de 500 famílias, os técnicos identificaram a necessidade de realizar intervenções urgentes, pois a área ainda é ocupada irregularmente por algumas casas. O prefeito, presente à visita, garante que as ações na comunidade irão começar o mais rápido possível e irão atender 30 famílias que moram praticamente dentro do lixão.
  12. 12. O Plano de Ação Palmas Sustentável foi lançado 25/06/2015 pela Prefeitura de Palmas com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), da CAIXA e do Instituto Pólis, por meio da Iniciativa Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) do BID. O processo envolveu etapas de diagnóstico, priorização de áreas e o desenvolvimento de soluções sobre os desafios de desenvolvimento de médio e longo prazo da cidade. Palmas é a quarta cidade brasileira a receber o plano de ação dentro da parceria com a CAIXA, e conta com bons indicadores socioeconômicos se comparada a outras cidades da América Latina e Caribe. Entretanto, possui desafios importantes a serem vencidos para garantir a sustentabilidade de seu território no longo prazo.
  13. 13. As cidades de Florianópolis, Palmas e Vitória se unem à Iniciativa de Cidades Emergentes e Sustentáveis (ICES) do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e receberão apoio técnico e financeiro para estimular o desenvolvimento urbano sustentável, a partir de um diagnóstico que compreende temas relacionadas a meio ambiente e mudanças climáticas, desenvolvimento urbano, governabilidade e gestão fiscal, com o apoio da CAIXA.
  14. 14. Etapas da ICES A ICES abrange a coleta e análise de dados sobre a localidade. Cabe ao BID avaliar o desempenho do município em 140 indicadores mais importantes para assegurar a sustentabilidade. Concluída essa fase de diagnóstico, é realizado o processo de priorização das ações, que inclui a aplicação de pesquisa junto à sociedade civil, acadêmicos e governo local. “As informações obtidas orientam a elaboração do plano de ação, por meio do qual se estabelecem as intervenções prioritárias necessárias para que a cidade alcance a sustentabilidade no médio e longo prazo
  15. 15. Uma vez elaborado e firmado o plano de ação entre os atores locais pertinentes e o BID, é iniciada a fase de execução. A ICES colabora com a estruturação e o desenvolvimento de estudos para assegurar ao menos uma das intervenções prioritárias do plano e apoio na captação de financiamentos de fontes diversas. Ainda durante essa etapa, é implementado sistema para monitoramento dos resultados, que considera as impressões de cidadãos, instituições não governamentais (ONG), setor privado e academia.
  16. 16. Referencias  Bid - iniciativa de cidades emergentes e sustentáveis. <www.iadb.org/.../iniciativa-de- cidades-emergentes-e-sustentaveis,10562....>  Caixa e Bid promovem cidades sustentáveis em três capitais brasileiras. <www1.caixa.gov.br/imprensa/noticias/asp/popup_box.asp?codigo..>

×