BERNARDO JOAQUIM DA SILVA
GUIMARÃES
Nascimento : 15/08/1825
Falecimento: 10/03/1884
BIOGRAFIA
É filho de João Joaquim da Silva Guimarães, também poeta, e de Constança Beatriz de
Oliveira Guimarães. Ele se c...
BIOGRAFIA
 O romance foi levado à tela da Rede Globo de Televisão em 1976 e em 1977 e
à da Rede Record em 2004 (Ver Escra...
BIOGRAFIA
 Duas das poesias mais conhecidas são consideradas pornográficas,
embora não sejam do período bestialógico. Tra...
OBRAS
 * Cantos da Solidão (1852)
* Inspirações da Tarde (1858)
* O Ermitão de Muquém (1858)
* A Voz do Pajé (drama – 186...
MAIS SOBRE GUIMARÃES
 Bernardo Joaquim da Silva Guimarães nasceu em Ouro Preto, Minas Gerais,
no dia 15 de agosto de 1825...
‘’ GUIMARÃES
PRINCIPAL OBRA :
ESTRUTURA DO LIVRO
 1. FOCO NARRATIVO
O foco narrativo do livro Escrava Isaura é na terceira pessoa.
2. PROTAGONISTA
Isau...
ESTRUTURA DO LIVRO
 4 - OUTROS PERSONAGENS
Comendador Almeida (Dono da Fazenda) um homem rude, imundo, avarento e canalha...
ESTRUTURA DO LIVRO
5- TEMPO (QUANDO A DURAÇÃO
APROXIMADAMENTE DA HISTÓRIA)
Escrito na campanha abolicionista (1875). O aut...
O ENREDO DA OBRA
 Em uma bela fazenda, no município de Campos de Goitacases (RJ), morava Isaura, uma linda
escrava de cor...
..
 A aparição é seguida de forte discussão e Álvaro avança contra
Leôncio. A briga é cessada com a aparição de Isaura qu...
COM GRANDE REPERCUSÃO , A NOVELA
GANHOU DUAS VERSÕES
ÉPOCA DA ESCRITA DO LIVRO ÁPOS APROXIMADAMENTE 8 ANOS
GRUPO :
Jayne Kethlyn Dos Santos Nº 16
Suellen Aparecida Dos Santos Nº 35
Larissa Fernada Dos Santos Nº 20
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bernardo joaquim da silva guimarães

1.914 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.914
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
36
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bernardo joaquim da silva guimarães

  1. 1. BERNARDO JOAQUIM DA SILVA GUIMARÃES Nascimento : 15/08/1825 Falecimento: 10/03/1884
  2. 2. BIOGRAFIA É filho de João Joaquim da Silva Guimarães, também poeta, e de Constança Beatriz de Oliveira Guimarães. Ele se casou com Teresa Maria Gomes de Lima Guimarães, e tiveram oitos filhos: João Nabor (1868-1873), Horário (1870-1959), Constança (1871- 1888), Isabel (1873-1915), Affonso (1876-1955), José (1882-1919), Bernardo (1832-1955) e Pedro (1884-1948). Formou-se na Faculdade de Direito de São Paulo, em 1847, e nesta cidade tornou-se amigo dos poetas Álvares de Azevedo (1831-1852) e Aureliano Lessa (1828-1861). Os três e outros estudantes fundaram a Sociedade Epicuréia. Foi nessa época em que Bernardo Guimarães teria introduzido no Brasil o bestialógico (ou pantagruélico), que se tratava de poesia cujos versos não tinham nenhum sentido, embora bem metrificados. A maioria dessa poesia não foi publicada porque era considerada pornográfica, e se perdeu. Para alguns críticos, o melhor do escritor seria o bestialógico. Um exemplo dessa produção (não-pornográfica) é o soneto Eu Vi dos Pólos o Gigante Alado. Histórico das obras Estátua de Bernardo Guimarães, na Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. O seu livro mais conhecido é A Escrava Isaura. Foi publicado pela primeira vez em 1875, pela Garnier. Conta as agruras de uma bela escrava branca que vivia em uma fazenda do Vale do Paraíba, na região fluminense de Campos.
  3. 3. BIOGRAFIA  O romance foi levado à tela da Rede Globo de Televisão em 1976 e em 1977 e à da Rede Record em 2004 (Ver Escrava Isaura (telenovela) e A Escrava Isaura (2004), respectivamente). A versão da Globo foi exportada para cerca de 150 países. Na China, protagonizada por Lucélia Santos, a Escrava Isaura foi assistida por mais de 1 bilhão de pessoas. Uma edição do livro naquele país teve pelo menos 300 mil exemplares. O romance é considerado por alguns críticos como antiescravista. José Armelim Bernardo Guimarães (1915-2004), neto do escritor, argumenta que, se a história fosse de uma escrava negra, não chamaria a atenção dos leitores daquela época para a questão da escravidão. O livro de Bernardo Guimarães mais bem aceito pela crítica é O seminarista, cuja primeira edição é de 1872. Permanece atual porque questiona o celibato dos padres. Conta a história de um fazendeiro de Minas Gerais que obriga o seu filho a ser padre. Eugênio, o filho, ama desde criança Margarida, filha de uma agregada da fazenda. Ele tenta abandonar o Seminário de Congonhas em Minas Gerais, mas o pai dele, o capitão Antunes, inventa que Margarida se casou. Eugênio se ordena. Mas ele se endoidece no dia em que volta a sua cidade para rezar a sua primeira missa e se depara, na igreja, com um cadáver, o da Margarida, que tinha estado muito doente.
  4. 4. BIOGRAFIA  Duas das poesias mais conhecidas são consideradas pornográficas, embora não sejam do período bestialógico. Trata-se do O Elixir do Pajé e A Origem do Mênstruo. Ambas foram publicadas clandestinamente em 1875. Em 1852, tornou-se juiz municipal e de órfãos de Catalão (Goiás). Exerceu o cargo até 1854. Em 1858, mudou-se para o Rio de Janeiro. Em 1859, trabalhou como jornalista e crítico literário no jornal Atualidade, do Rio de Janeiro. Em 1861, reassumiu o cargo de juiz municipal e de órfãos de Catalão. Foi quando, ao ocupar interinamente o juizado de Direito, Bernardo Guimarães convocou uma sessão extraordinária do júri, que liberou 11 réus porque a cadeia não estava em condições de abrigá-los. Em 1864, volta para o Rio de Janeiro. Em 1866, é nomeado professor de retórica e poética do Liceu Mineiro, de Ouro Preto. Em 1867, casa-se. Em 1873, leciona latim e francês em Queluz (Minas Gerais). Em 1881, é homenageado pelo imperador Dom Pedro II. Morre pobre em 10 de março de 1884.
  5. 5. OBRAS  * Cantos da Solidão (1852) * Inspirações da Tarde (1858) * O Ermitão de Muquém (1858) * A Voz do Pajé (drama – 1860) * Poesias Diversas (1865) * Evocações (1865) * Poesias (volume que reúne as quatro obras de versos anteriores publicadas e mais o poema A Baia de Botafogo – 1865) * Lendas e Romances (contos – 1871) * O Garimpeiro (romance – 1872) * História e Tradições da Província de Minas Gerais (crônicas e novelas – 1872) * O Seminarista (romance – 1872) * O Índio Afonso (romance – 1872) * A Escrava Isaura (romance – 1875) * Novas Poesias (1876) * Maurício ou Os Paulistas em São João del-Rei (romance – 1877) * A Ilha Maldita ou A Filha das Ondas (romance – 1879) * O Pão de Ouro (conto – 1879) * Folhas de Outono (poesias – 1883) * Rosaura * A Enjeitada (romance – 1883) * O Bandido do Rio das Mortes (romance terminado em 1905 por Teresa Guimarães, mulher do autor). * Dança dos Ossos
  6. 6. MAIS SOBRE GUIMARÃES  Bernardo Joaquim da Silva Guimarães nasceu em Ouro Preto, Minas Gerais, no dia 15 de agosto de 1825. Quatro anos depois, muda-se com sua família para Uberaba, onde cursou a escola primária. Posteriormente, completa a instrução secundária em Campo Belo e Ouro Preto.  Ingressa na Faculdade de Direito do Largo de São Francisco em 1847, tardiamente, aos 24 anos. As letras jurídicas não eram a sua vocação, tanto que foi reprovado na prova de conclusão de curso e, para receber o diploma de bacharel, precisou fazer uma “segunda-época”, espécie de recuperação, vindo a receber o título apenas no ano seguinte.  Foi no ambiente acadêmico que Bernardo Guimarães consolidou sua vocação para a literatura. Lá, reuniam-se escritores como José de Alencar e Alvarez de Azevedo, de quem Bernardo se tornou amigo íntimo. Esse ambiente era marcadamente festivo, literário, boêmio e estava grandemente influenciado pelas idéias do romantismo, movimento artístico que se iniciou na Europa e se desenvolvia no Brasil desde 1838, movimento esse que dava vazão aos sentimentos e emoções do indivíduo, à popularização da produção artística e à valorização dos elementos característicos da cultura nacional.
  7. 7. ‘’ GUIMARÃES
  8. 8. PRINCIPAL OBRA :
  9. 9. ESTRUTURA DO LIVRO  1. FOCO NARRATIVO O foco narrativo do livro Escrava Isaura é na terceira pessoa. 2. PROTAGONISTA Isaura: Uma escrava branca, da cor do marfim, magra, estatura pequena, cabelos longos, muito bonita, pura, virginal, possuía um caráter nobre, inteligente, era dotada de natural bondade e muito singela de coração, além disso, sabia ler e escrever, falava italiano, francês e tocava piano. 3. ANTAGONISTA Leôncio é o vilão leviano, devasso e insensível que, de “criança incorrigível e insubordinada” e adolescente que sangra a carteira do pai com suas aventuras, acaba por tornar-se um homem cruel e inescrupuloso. Homem de aparência rude era o herdeiro de todos os maus instintos e devassidão do comendador, seu pai. Nutre por Isaura o mais cego e violento amor
  10. 10. ESTRUTURA DO LIVRO  4 - OUTROS PERSONAGENS Comendador Almeida (Dono da Fazenda) um homem rude, imundo, avarento e canalha. Feitor Miguel (pai de Isaura e Capataz da Fazenda), homem bom e forte. Tratara bem aos escravos. Juliana (mãe de Isaura). Era a mais linda escrava e sofria de privações, por não querer ser amante do Comendador Almeida. Leôncio (filho do Comendador Almeida), mau caráter, dominador, mandão, mas de boa aparência. Malvina (esposa de Leôncio), mulher dócil e bonita. Henrique (cunhado de Leôncio), rapaz bom, estudioso e rico. Elvira e Anselmo (nomes de Isaura e Miguel, quando fogem e vão morar em Recife) Álvaro (abolicionista), moço bonito, rico, liberal e republicano. Martinho (estudante), ganancioso e desprezível, cabeça grande, cara larga, feições grosseiras, olhos pardos e pequeninos. Belchior (Jardineiro), um ser disforme e desprezível. É o símbolo da estupidez submissa e também sua descrição física se presta a demonstrar sua conduta: feio, cabeludo, atarracado e corcunda. Dr. Geraldo: é um advogado conceituado, que serve como fiel da balança para Álvaro, já que procura equilibrar os arroubos do amigo, mostrando-lhe a realidade dos fatos
  11. 11. ESTRUTURA DO LIVRO 5- TEMPO (QUANDO A DURAÇÃO APROXIMADAMENTE DA HISTÓRIA) Escrito na campanha abolicionista (1875). O autor pretende, nesta obra, fazer uma acusação documentada anti - escravo e da liberdade. O autor explorou uma das questões mais polêmicas da sociedade brasileira da época: a escravidão. 6- LUGAR (ES) ONDE ACONTECEU O ROMANCE. Município de Campos de Goitacases (Rio de Janeiro) e Recife
  12. 12. O ENREDO DA OBRA  Em uma bela fazenda, no município de Campos de Goitacases (RJ), morava Isaura, uma linda escrava de cor de marfim. Isaura era filha de uma bonita escrava que por não se sujeitar aos sórdidos desejos do senhor comendador Almeida (dono da casa) sofreu as mais terríveis privações. Esta escrava teve um caso com o feitor Miguel, que era um bom homem e não aceitou castigá-la como mandou o seu senhor, sendo Isaura fruto desse relacionamento. Isaura foi educada pela mulher do comendador, e era dotada de natural bondade e candura do coração além de saber ler, escrever, italiano, francês e piano. A mulher do comendador tinha desejo de libertar Isaura, porém não fazia para conservá-la perto e assim ter companhia. O Sr. Almeida se aposenta, retirando-se para a corte e entrega a fazenda a seu filho Leôncio. Este era digno herdeiro de todos os maus instintos e devassidão do comendador. Casou-se por especulação. Nutre por Isaura o mais cego e violento amor. Ele chega à fazenda com sua mulher - Malvina - e seu cunhado - Henrique. Malvina era mulher dócil e tratava Isaura muito bem. Henrique era um filho rico, estudante de medicina, e também ficou tocado pela beleza de Isaura. Morre a mãe de Leôncio sem deixar testamento que libertasse Isaura. Henrique rapidamente percebe as intenções de Leôncio para com Isaura. Temendo que ele traia sua irmã, adverte que não vai tolerar tal ato. Henrique se oferece como amante para Isaura e daria em troca sua liberdade. O jardineiro da fazenda, um ser disforme e desprezível, também se oferece como amante. Isaura não dá atenção a essas propostas, e diz nunca casar sem amor. Leôncio é avistado por Henrique e Malvina quando fazia semelhante proposta à Isaura. Malvina sentencia: ou ela (Isaura) ou eu.
  13. 13. ..  A aparição é seguida de forte discussão e Álvaro avança contra Leôncio. A briga é cessada com a aparição de Isaura que se entrega ao seu senhor. Isaura volta à fazenda onde fica na mais completa reclusão. Leôncio volta para Malvina, pois iria precisar do seu dinheiro. Miguel é ludibriado na cadeia e convencido a tentar persuadir Isaura a se casar com Belchior, o jardineiro da fazenda, em troca da liberdade sua e da filha. Isaura aceita o sacrifício, pois estava sem forças e sem esperança. Leôncio já havia tomado todas as providências para o casamento, quando é informado que alguns cavalheiros chegaram. Pensando se tratar do vigário e do tabelião, manda eles entrarem. Fica surpreso ao ver Álvaro. Este tinha ido ao Rio de Janeiro e descobre com alguns comerciantes que Leôncio estava falido. Compra os seus créditos e fica dono de toda a dívida de Leôncio. Álvaro fala para Leôncio que nada mais o pertence, que toda a sua fazenda incluindo os escravos passava a ser dele com a execução dos débitos. Isaura abraça Álvaro. Leôncio jura que nunca irá implorar a sua generosidade para abrandar a dívida. Ele se ausenta da sala e se mata
  14. 14. COM GRANDE REPERCUSÃO , A NOVELA GANHOU DUAS VERSÕES ÉPOCA DA ESCRITA DO LIVRO ÁPOS APROXIMADAMENTE 8 ANOS
  15. 15. GRUPO : Jayne Kethlyn Dos Santos Nº 16 Suellen Aparecida Dos Santos Nº 35 Larissa Fernada Dos Santos Nº 20

×